O Progresso12062014

 

Teatro, dança e música fazem parte do espetáculo “O pai de vento”, inspirada no Cordel de Chico Salles, sob direção da atriz e repórter, Marita Ventura. A peça é resultado dos dois meses de aulas de teatro do COC e foi apresentada na manhã de quarta-feira (11), no auditório da escola. A narrativa fala de João do Joca, homem pacato, que tirava o sustento da roça e apaixonou-se por Zefinha da Paçoca.

Os dois casaram-se. Zefinha anuncia uma gravidez. Depois de um ano o filho não nasce. Por isso, João do Joca fica conhecido como “Pai do Vento”. Entre uma cena e outra, música clássica. Já na narrativa foram inseridas composições populares como “Deixa isso pra lá”, de Jair Rodrigues e “Pare o Casamento” – popularizada na voz do grupo Kid Abelha.
A adaptação é uma mistura de elementos que deu à encenação um tom contemporâneo. A simplicidade do cenário e do figurino permite que atenção seja mais voltada a oralidade da narrativa, bem marcada pela linguagem nordestina – típica do Cordel. “Fizemos uma mistura de comédia com Cordel. Uma linguagem teatral que se adequou bem ao momento junino”, disse a diretora do espetáculo, Marita Ventura.
“A peça foi criada durante as aulas. É um processo, onde já conseguimos mostrar o resultado. Trabalhamos bastante o equilíbrio e técnicas vocais”, explicou Ventura.  A aluna Laura Santos participou das lições de teatro e para ela, as consquencias foram positivas. “Pedi a timidez e melhorei a forma de me expressar com as pessoas. Na sala de aula, me ajudou a ficar mais concentrada e ter mais foco”, acrescentou.
O público respondia a cada ato com risos, palmas e gritos. “Foi uma excelente iniciativa cultural do COC. O que mais chamou minha atenção foi a atuação dos alunos e o compromisso com o espetáculo. A iniciativa é bem diferente e para nós, enquanto público, é muito bom por que quebra um pouco a rotina das aulas. Dá uma aliviada na rotina”, avaliou o estudante e expectador, Ernandes Pereira.
Mais de Chico Salles – O paraibano Francisco de Salles Araújo é engenheiro civil, cantor, compositor de forró e cordelista. Possui influências de grandes compositores nordestinos, como Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga. Apesar de já ser um músico consagrado, somente em 2008 Chico Salles aparece com mais visibilidade no mundo literário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *